Acadêmico de 19 anos cria projeto para beneficiar passageiros com deficiência visual

Um estudante do curso de Ciências da Computação, da UFPel, criou um projeto que possibilita que usuários do transporte coletivo saibam, por meio de um sinal sonoro, quando o ônibus que pretende tomar está se aproximando da parada. Caso venha a ser implantada no sistema público de transporte de Pelotas, a tecnologia desenvolvida por Lucas Porciúncula, de 19 anos, pode beneficiar de 260 a 300 pessoas com deficiência visual. A estimativa é do presidente da Escola Especial Louis Braille, Dilmar Cunha Rodrigues, que acompanhou o rapaz na audiência com o prefeito em exercício Idemar Barz, ontem (2), no Paço Municipal.   


O jovem esclareceu que, para colocar o projeto em prática, é preciso que cada ônibus tenha um aparelho transmissor de sinal de Wi-Fi, por meio do qual o veículo, devidamente cadastrado no aplicativo de celular, transmitiria um sinal sonoro de alerta ao usuário, ao se aproximar da parada de ônibus.  

“O aplicativo avisa quando o ônibus está próximo, a cerca de 100 metros de distância, e muito próximo, para os casos em que há mais de um veículo na parada, ao mesmo tempo. Não se trata de disponibilizar Internet nos ônibus, apenas o sinal seria transmitido por ondas de rádio, ou seja Wi-Fi”, explicou Lucas Porciúncula.

Idemar cumprimentou o jovem pela inovação tecnológica, criativa e que pode representar um importante avanço para os usuários do transporte coletivo com deficiência visual e disse que será averiguada a possibilidade de implantação do projeto. Em breve, o jovem deve se reunir com o secretário de Transporte e Trânsito (STT), Flávio Al Alam e com os responsáveis pelo sistema de monitoramento e operação de GPS do transporte coletivo de Pelotas, para discutir o assunto.

Fonte; Prefeitura de Pelotas